teste

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

FUNCULTURA, NENHUM PROJETO DE ARCOVERDE É APROVADO

O Fundo de Incentivo à Cultura do Governo de Pernambuco - Funcultura é o principal mecanismo de fomento à produção cultural no Estado. Para o ano de 2011, serão destinados R$ 22 milhões em patrocínios a projetos nas diversas linguagens e segmentos culturais, a saber: Dança (R$ 1.681.615 milhão), Circo (R$ 434.767 mil), Ópera (R$ 249.999 mil), Teatro (R$ 1.460.587 milhão), Fotografia (R$ 1.216.961 milhão), Literatura (R$1. 025. 511 milhão), Música (R$ 6.689.898 milhões), Artes Plásticas (R$ 1.484.261 milhões), Cultura Popular e Tradicional (R$ 1.512.430 milhões), Artesanato (R$ 185.016 mil), Patrimônio (R$ 1.084.992 milhão), Literatura (R$ 1.025.511 milhão), Pesquisa Cultural (R$ 1.781.191 milhão), Artes Integradas (R$ 1.042.867 milhão), Formação/Capacitação (R$ 1.689 milhão) e Gastronomia (R$ 238.659 mil).

A divulgação do resultado da seleção, que foi feita pelo Secretário de Cultura, Fernando Duarte, no último dia 21, mostrou para nós, militantes da cultura em Arcoverde, uma realidade estarrecedora: nenhum centavo desse quinhão será destinado a ações culturais no nosso Município. Embora não tenha havido a divulgação do resultado do processo por cidade e região, fizemos uma consulta informal junto aos artistas e produtores culturais e a informação obtida é de que nenhum projeto de Arcoverde foi contemplado. Se estivermos falando bobagem, damos a mão à palmatória.

É, de certa forma, inacreditável que a cultura arcoverdense, tão festejada pelo País afora, fique alijada desse processo de financiamento cultural, que é tido como o mais importante de Pernambuco, principalmente para Arcoverde, que não dispõe em âmbito local de sistema de fomento à cultura.

Quais lições poderíamos tirar desse fato? Sem dúvida, a necessidade de regionalização desse mecanismo é medida urgente. Sobre essa questão, o próprio Secretário de Cultura já adiantou que a descentralização dos recursos é uma das ações a serem implementadas no FUNCULTURA, já em 2012. Não sabemos, todavia, como será a partilha dos recursos entre as doze regiões de desenvolvimento do Estado.

Por outro lado, salta aos olhos a necessidade de uma ampla divulgação do referido programa de fomento para a comunidade cultural de Arcoverde. É gritante a falta de informações dos fazedores de cultura acerca da existência desse fundo de incentivo. A maioria sequer tem conhecimento dos prazos e dos requisitos exigidos no edital.

Mas não é só isso, é imprescindível que haja oferta de capacitação para artistas, entidades e produtores culturais, de modo que possam adquirir “competitividade” frente aos concorrentes da capital, que, sem dúvida, abocanham a grande parte dos recursos disponíveis.

É fato que. ao não ser contemplada com nenhuma fatia desse bolo, a cidade de Arcoverde perde não somente atividades artísticas, mas há um evidente prejuízo também para outros segmentos, como é o caso  do comércio, da prestação de serviços e do turismo.

É urgente então que, a exemplo do que ocorre com a capacitação de jovens e adultos para o mercado de trabalho, o Poder Público Local e a Sociedade Civil acordem e promovam ações de capacitação destinadas a agentes culturais locais, para que possam participar de editais de fomento à cultura, principalmente visando aos recursos do FUNCULTURA.

Sem dúvida, um Sistema Municipal de Cultura atuante, poderá suprir essa lastimável lacuna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário