MOVIMENTO DOS AMIGOS DO CINEMA RIO BRANCO ENTREGA MANIFESTO À PREFEITA DE ARCOVERDE

momento de entrega do manifesto à Prefeita Municipal
Comissão composta de membros da sociedade civil e integrantes do Conselho Municipal de Políticas Culturais entregou manifesto em prol da reforma do Cinema Rio Branco nesta terça (16) na Prefeitura de Arcoverde (PE). O grupo intitulado Movimento Amigos do Cinema Rio Branco foi recebido pela Prefeita Madalena Britto e na ocasião foi entregue à gestora municipal o documento que ressalta a urgência em recuperar o equipamento cultural atualmente interditado em virtude de rachaduras em uma de suas paredes de sustentação, além de outros problemas estruturais constatados.
 
O manifesto foi elaborado pelas entidades CineRua do RJ e  CineRua  de PE e pelo jornalista e crítico de cinema André Dib. A Prefeita afirmou que tem se empenhado  em conseguir os recursos necessários à reforma do equipamento cultural que pertence ao Município, mediante solicitação de emendas parlamentares e até de recursos da iniciativa privada. Salientou que espera em breve ter uma resposta satisfatória.
 
Foi definida na reunião uma data para que a Prefeita possa novamente se manifestar sobre o tema.

Vejam a íntegra do manifesto:


Prezada prefeita Madalena Britto,
 
Através desta carta manifestamos preocupação com o Cinema Rio Branco, um dos mais antigos espaços de exibição de filmes do país, que no próximo 17 de maio completará 102 anos e atualmente se encontra interditado por apresentar rachadura numa de suas paredes de sustentação. 
Ao lado dos antigos Cine Bandeirante e Cine Las Vegas, o Cinema Rio Branco foi responsável pelo crescimento do comércio local, abertura de novas ruas e consolidação de sua característica urbana. Importante canal de cultura, cumpriu o papel de sala de espetáculos com o fomento de conhecimentos, ampliação da sociabilidade, além de sua importância econômica. Além disso, há o dado precioso de que as assembleias que discutiram a emancipação do município de Arcoverde se deram dentro do cinema, há 91 anos.
Entre outros importantes avanços históricos, o Rio Branco acompanhou o progresso técnico do cinema internacional, exibindo o primeiro filme sonoro, o primeiro em cores, entre outras inovações de imagem, tela e som. Até que, em 2016, ele passa a integrar o circuito Cine de Rua em Pernambuco e em 2017 passa a fazer parte da Secretaria de Cultura e Comunicação, uma nova estrutura no poder executivo municipal. 
A primeira ação da nova gestão com apoio do GT Cine de Rua é a digitalização do Rio Branco, a partir de um acordo de cooperação técnica com a Secretaria de Cultura de Pernambuco e o Cinema São Luiz, que participa da programação e demais fundamentos para manter suas atividades, entendendo a importância de ter um cinema de repertório, desenvolvendo uma programação mista, com o intuito de formar público e restabelecer a relação da sociedade com o equipamento, uma vez que o cinema estava fechado desde 2015. Para tanto, o Rio Branco foi readequado recentemente, recebendo tratamento acústico e climático tendo como consultor Osvaldo Emery, especialista em cinema do Ministério da Cultura. 
O Cinema Rio Branco tem potencial para fornecer espetáculos para todas as idades e gostos, além de poder ser utilizado para a formação de novas plateias. Além da exibição de filmes, seu espaço poderá ser disponibilizado para festivais, eventos de teatro, música, exposições, fóruns, palestras, visitas turísticas e outros programas que podem ser previstos em regimento interno, desde que regulamente sua utilização no âmbito da cultura, valorizando não só a cidade como sua população. Dispõe também de um amplo espaço para a instalação de uma cafeteria ou bombonière. 
Em 5 de junho de 2017 o Rio Branco também estimulou o engajamento do público em pleno festejo junino, quando realizou pré-estreia do filme “Super Orquestra Arcoverdense de Ritmos Americanos”, de Sérgio Oliveira. Logo após a sua reabertura foi descoberta dilatação em uma das paredes de sustentação e, sob orientação de profissionais da engenharia, o cinema foi interditado por questões de segurança.
Por carência de verbas do município, uma vez que o Cinema Rio Branco pertence à Prefeitura de Arcoverde, o imóvel corre o risco de continuar fechado, se deteriorar com o tempo, e com ele, os equipamentos instalados. Com as recentes chuvas, aumenta ainda mais o caráter de urgência desta situação. 
Cinemas de rua são espaços de memória, de mobilização, de pensamento e de ocupação. São formas de pensar as cidades. Não podemos admitir que mais um cinema morra, que suas cadeiras fiquem vazias, que a cultura se atrofie e mais uma rica fonte se perca. Que as autoridades competentes preservem este patrimônio público e SALVEM O CINEMA!
Assinam 
Movimento CINERUA!
Movimento #CineRuaPE
André Dib (pesquisador, jornalista, crítico de cinema)
 
colaborou: Djalma Galindo - Cineasta Arcoverdense
foto: Divulgação da Prefeitura de Arcoverde

Um comentário:

  1. Grande iniciativa que merece aprovação do cidadão arcoverdense, por sua importância histórica e cultural.
    Vamos comemorar o aniversário de 102 anos, em 17 de maio, próximo, com com um movimento festivo, nas calçadas do RB, despertando Arcoverde, para o tema.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.