quarta-feira, 16 de novembro de 2011

ARTISTA E GRUPO ARCOVERDENSES SÃO HABILITADOS NO CONCURSO DO PATRIMÔNIO VIVO

 Dona Severina ao lado de Biu Neguinho em evento do Sextas Culturais

Dona Severina Lopes e o grupo Samba de Coco Irmãs Lopes estão entre os habitilitados para a fase de análise cultural do VII Concurso Público do Registro do Patrimônio Vivo de Pernambuco (RPV), promovido pelo Governo do Estado, através da Fundarpe.  

É a primeira vez que artistas com atividade em Arcoverde chegam a essa etapa do certame, que tem como objetivo conceder o título vitalício a três personalidades que fazem a história cultural de Pernambuco. As inscrições para esse concurso se encerraram em 24 de outubro e nele puderam concorrer pessoas físicas ou grupos culturais. Para participar enquanto pessoa física o concorrente teria que possuir nacionalidade brasileira, residir no Estado há mais de 20 anos e comprovar currículo de trabalho na área cultural há mais de 20 anos, além de apresentar declaração de renda. Já os grupos culturais, além da declaração de renda, precisavam comprovar ter 20 anos de existência em Pernambuco e atuação no fomento à cultura popular e tradicional pelo mesmo período de tempo.

O principal ganho da Lei de Patrimônio Vivo é que se reconhece ainda em vida o trabalho dos mestres e grupos culturais da terra na construção de um patrimônio cultural. A Lei prevê a concessão de bolsas vitalícias no valor de R$ 750,00 mensais para pessoas físicas e R$ 1.500,00 mensais para grupos culturais como incentivo do Governo de Pernambuco à realização e perpetuação de suas atividades. Além disso, os registrados na Lei do Patrimônio Vivo assumem a missão de transmitir os seus saberes e fazeres a aprendizes em eventos ou em programas de ensino e aprendizagem promovidos pela Fundarpe. O objetivo é manter e preservar as expressões da cultura popular e tradicional pernambucana.

Os concorrentes de Arcoverde têm como mérito maior serem descendentes da família que foi responsável pela introdução do Samba de Coco na cidade e pela sua difusão por todo o Estado. A "Dinastia dos Lopes" teve como maior expoente Ivo, irmão de Dona Severina, personagem que foi o maior incentivador da tradição do Samba de Coco na Terra do Cardeal. Ivo Lopes foi o organizador da antológica Caravana, que, nos anos 60 e 70 do século passado, destacou-se como relevante força da cultural  regional.

Certamente a classificação de Dona Severina e do Grupo Irmãs Lopes no processo do RPV, que contempla uma vasta gama de personalidades da cultura pernambucana, representa motivo de grande orgulho para todos os arcoverdenses, sendo um reconhecimento de que eles são os remanescentes dos que aqui chegaram com o Samba de Coco, e, além disso, que os mesmos têm atuado com grande esforço para manter essa herança cultural.

Nenhum comentário:

Postar um comentário