domingo, 30 de outubro de 2016

FEIRA LITERÁRIA DO SERTÃO FELIS É SUCESSO


Poeta Antônio Francisco na FELIS, sendo acompanhado pelo Mestre Chico Pedrosa
A Feira Literária do Sertão - FELIS, realizada em Arcoverde na tarde-noite do dia 29 de outubro de 2016, superou todas as expectativas dos realizadores quanto à presença de artistas e comparecimento do público.

Os espaços da Praça Winston Siqueira foram ocupados por empresas do ramo literário, por artesãos e por cordelistas, que trouxeram os seus trabalhos para serem conhecidos pelo público arcoverdense e comercializados.

Destaque especial para a exposição da poetisa e artista plástica Edilza Vasconcelos que trouxe a sua "Artes Sertão em Preto e Branco", com quadros de pinturas e artesanato com a temática sertaneja. Outro ponto alto da Feira foi a exposição "PASSOSPOÉTICOS", retratando a vida e obra do premiado escritor Carlos Alberto Cavalcanti, a qual foi montada pela equipe do Sesc Arcoverde, mostra que já circulou por vários espaços da cidade.

Lançamentos de livros e de CD , teatro de rua, exposição de vinis  e sarau póetico musical compuseram a programação da FELIS, que teve início às 15h e seguiu até às 23h numa celebração à cultura regional, com um público de cerca de 500 pessoas passando pelas exposições e acompanhando a programação de palco.

Foram lançados os livros Espelhos e Janelas (Edimilton Torres), Pernambuco das Pontes às Cancelas (Genival Poeta), Alma Impressa (Vinícius Gregório). Também passaram pelo evento autografando as suas obras os escritores Padre Brás, Ciro Filó e Zé Adalberto.

Dentre os cordelistas, destaque especial para os Mestres Chico Pedrosa (Tuparetama) e Antônio Francisco (Mossoró) que, como de costume, arrancaram calorosos aplausos da atenta plateia.

Na parte musical, estiveram na FELIS a cantora Sevy Nascimento (lançado o CD Tríade), Kleber Araújo, Geraldo Santos, Allan Sales, Leandro Vaz, Rafael Moura, Wilson China e, para fechar o evento, o festejado Coco Raízes de Arcoverde.

O COCAR, entidade realizadora do evento que celebrou sete anos de atuação, agradece de coração aos apoiadores e parceiros, aos artistas e ao público que ajudaram a construir este evento que, sem dúvida, constituiu-se em momento ímpar de louvação ao nosso maior patrimônio: a cultura de Arcoverde  e Região. Pelo sucesso obtido, certamente o evento será reeditado em 2017.

Segue a lista das empresas e entidades parceiras: Prefeitura Municipal de Arcoverde, Livraria Lira Cultural, SESC Arcoverde, SAPECAS, SOPOESP, Casa do Artesão de Arcoverde, Editora Coqueiro, Hotel Monteirão, Hotel Cruzeiro, Rádio Itapuama, Restaurante Nossa Senhora do Carmo, Restaurante Maria Gulosa, Teatro de Retalhos, TV LW, Max Service, Clube do Vinil e CINA.

foto: acervo do COCAR

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

FELIS RECEBE COMITIVA DE POESTAS DE SERTÂNIA


 
SAPECAS na FELIS-Feira Literária do Sertão
 A SAPECAS- Sociedade dos Poetas, Escritores, Compositores e Artistas de Sertânia foi criada em 8 de fevereiro de 2008, com o objetivo de congregar os que escrevem e poder melhor divulgar a produção da cultura literária e musical sertaniense. Ao Longo do tempo, a SAPECAS Tem realizado projetos, eventos e ações inúmeras com o objetivo de resgatar as nossas raízes poético-literárias e difundi-las para as novas gerações, bem como de revelar novos talentos para as nossas letras.

De lá pra cá tem acumulado uma série de atividades, levando a poesia aos bairros, aos sítios, as escolas, ao Rádio e a internet, publicando livros, CDs, DVDs, promovendo intercâmbio com outras cidades e sobretudo incentivando as pessoas a lerem e a escreverem, se divertirem através da escrita e da leitura, fazendo delas instrumentos de transformação social.

Também tem contribuindo para levar a Poesia sertaniense a outras cidades, divulgando o nome da literatura e da arte de nossa terra em outras paragens,colaborando para uma imagem positiva de nossa terra. A nível de divulgação a SAPECAS acumula participações em programas de rádio, publicações em jornais e Tv a cerca de suas iniciativas e a manifestações em favor da literatura e da música de Sertânia e do Moxotó.

É sediada na Casa dos Poetas, Espaço cultural que possui acervos e serve de ponto para reuniões, recitais e pequenos shows, Uma forte característica da SAPECAS é a busca pela consciência de identidade cultural, poética e literária de Sertânia e do Sertão do Moxotó, objetivando a autonomia artística desta terra e desta micorregião, preservando-lhe a altivez e originalidade, para que os nossos poetas, escritores e artistas orgulhem-se de suas origens e raízes, valorizando sua essência, sem render-se a o culto à personalidade de outros lugares e ícones, nem jamais apelando para imitação destes ou de quem quer que seja.

Baseando- se nos ensinamentos e apoio de Mestres como Antônio Amaral e Cieudes Bilina, a SAPECAS reafirma a fibra da alma Moxotesca.

COMITIVA DA SAPECAS - Escritores

“Com Cheiro de Mar e Quixabeira”, livro de estreia de Josessandro Andrade, que mescla versos livres de arquitetura moderna com poemas de pura artesania de características regionais e populares.

A Descoberta

Amores que sobrevivem escondidos
Como secreto perfume das flores
Por mais perigosos e proibidos
São os melhores de todos os amores.

Carlos Enrique Sierra é um poeta Colombiano, residente em Sertânia, onde vem participando das atividades literárias da cidade do estado, e também das ações da SAPECAS, da qual está fazendo parte. Poeta de projeção internacional, recentemente publicou a sua Antologia Poética, seu mais novo livro, que reúne edição bilíngue (Espanhol e Português), poemas de Seus três livros anteriores, onde podemos encontrar poemas de sua lírica moderna como o que segue:

Petición

También el espejo dirá lo suyo sobre mí
Me verá hará el juicio y será drástico en su amnesia
Trocará mi imagen por outra
Lo hará reir em frente a mí

“Versejando o cotidiano” é um trabalho que vem com a poesia do gari Gabriel Oscar, ex cantor da Orquestra Marajoara, em versos livres de puro lirismo reflexivo. No seu ofício, Gabriel tem se revelado um hábil burilador textual, explorando no terreno poético elementos da tradição como a rima e o ritmo, mesclados ao despojamento e a ironia irreverente, conquista do verso livre, numa dicção própria de quem tem estilo pessoal.

A Internet Original

Não temo despacho na esquina
Alma penada maligna
Passar por debaixo de escada
Balde cair da sacada
Gato preto em minha frente
Diabo de chifre e tridente
Tudo isto é irreal
O que temo é a mentira
Gente que o valor de outra tira
Sendo invejosa e incapaz
Os que criticam até sua roupa
O fuxico o boca a boca
A internet original

LITERATURA DE CORDEL DA RESISTÊNCIA

Bastante conhecidos do povo, ora pela temática humoristica , ora pelo sentimento, ou assunto de natureza , a literatura de cordel de Gato Novo o fez ser procurado por alemães, que fizeram o filme “Poetas dos Povo”, onde Genival Pereira foi uma das estrelas junto com o poeta popular Chico Pedrosa.

Sua escrita imprime a digital da região sertaneja, revelando a alma do povo em sua fauna, sua flora, clima e costumes populares:

O Sertão é terra boa
Deus fez bonito e bem feito
Para ficar mais perfeito
Botou mis de uma lagoa
Deu a ele uma coroa
De xiquexique e facheiro
Alastrado e juazeiro
Mandacaru e pinhão
Quando Deus fez o sertão
Entregou tudo ao vaqueiro

Deus fez meu Sertão amado
Tão cheio de boniteza
Pra completar a beleza
Colocou mulher e gado
Pra ficar mais enfeitado
Lhe vestiu com marmeleiro
Com catingueiro e pereiro
Jurema angico e chorão
Quando Deus fez o sertão
Entregou tudo ao vaqueiro

O sertão é muito lindo
A gente ver todo a hora
Gado pastando na flora
Ver porteira se abrindo
Formiga entrando e saindo
Na boca do formigueiro
Tem cada exu verdadeiro
Redondo como um bujão
Quando Deus fez o sertão
Entregou tudo ao vaqueiro

O Trabalho de Genival Pereira (Gato Novo) é apresentado pelo poeta cordelista e declamador Wilton Augusto, que também recita produções de sua autoria em cordel.

CANTORIA DE VIOLA MOXOTESCA

Asa Branca do Ceará é cantador de viola e cordelista. Começou sua carreira cantando repentes ao lado de Pinto do Monteiro. São mais de sessenta anos de cantoria e mais de cem folhetos de cordel publicados. Participou de projetos do SESC em Campinas-SP, ministrando palestras, oficinas e aulas poéticas, além de documentários, DVDS E CDS dos mais diversos cineastas, pesquisadores e repentistas.

Atualmente coordena o Projeto Noite da Viola, cantoria–de–pé–de–parede, realizada uma vez por mês, na Casa dos Poetas, em Sertânia.

POESIA POPULAR SERTANEJA

Rômulo Campos, além de professor e advogado, é Poeta popular, que apresenta seus trabalhos de intensa musicalidade e apuro verbal, dando vazão a sua veia poética regional –sertaneja. Ele também declama os grandes Mestres da Poesia Popular, como Chico Pedrosa e Pinto do Monteiro.

Também acompanha a COMITIVA DA SAPECAS :

Tenda CANTO DA POESIA

Espaço onde são expostos material sobre o FLIS –Festival Literário do Sertão, Jornal de Poesia Cabeça de Rato e acervo da Casa dos Poetas de Sertânia.

Portal CASA DOS POETAS

O Site da Poesia de Sertânia e da Literatura do Sertão do Moxotó. Um vasto documentário sobre as gerações sertanienses dos poetas de livro, da Toada Boca de Grota, da Literatura de Cordel da Resistência e cantoria de viola moxotesca. Noções básicas de poesia. Registros de eventos como a Missa dos Poetas, Recitânia, Caminhada Poética, Festival Literário do Sertão (FLIS) com conteúdos escritos, em aúdio e em vídeo, além de fotos. O portal se faz presente com banner promocional, cobertura e registro do evento.

Editora MOXOTÓ PRODUÇÕES

Foi criada para publicar , divulgar e distribuir os livros dos escritores sertanejos do Moxotó, especialmente de Sertânia. Livros, folhetos de cordéis, CDs de poesia e dvds. Já tem vários títulos editados, que são expostos no evento.

Livraria CABRAS DO MOXOTÓ

Comercializa livros, cds , postais, cordéis, dvds , camisas e artesanato de Sertânia e do Sertão do Moxoto. Ela estará presente ao evento.

Fonte: Texto de Josessandro Andrade

sábado, 22 de outubro de 2016

COCAR COMEMORA 7 ANOS COM FEIRA LITERÁRIA DO SERTÃO - FELIS



Para comemorar os seus 7 anos de atuação ininterrupta, o Coletivo Cultural de Arcoverde - COCAR realizará no sábado (29/10) a Feira Literária do Sertão - FELIS. O evento é público e ocorrerá na Praça Winston Siqueira (antiga Virgínia Guerra), tendo início a partir das 15h e término previsto para as 22h.

A abertura será com o Clube do Vinil (Arcoverde), coordenado por Irason Bezerra, que mostrará parte de seu grande acervo de "bolaçhões". O público poderá também trazer seus discos para serem tocados ali na Praça.

Logo em seguida, haverá um momento de declamação infantil, com crianças de Pesqueira e Arcoverde, sob a coordenação do Poeta Diosman Avelino, que apresentará seus filhos, Pedro Henrique e Moisés, além das outras crianças e adolescentes.

Depois entra em cena o teatro de rua com a apresentação do renomado grupo arcoverdense Teatro de Retalhos, com  o espetáculo Revolta no País dos Retalhos.

Na sequência haverá o lançamento do Livro Espelhos e Janelas do Poeta Pesqueirense Edimilton Torres, que declamará alguns dos versos contidos em sua obra.

Vinícius Gregório, vem de São José do Egito para lançar o seu livro de poesias "Alma Impressa", o qual já foi lançado em Recife e em sua terra natal. O Poeta também nos brindará com suas belas declamações.

Mais um livro a ser lançado na FELIS é de outro escritor de Pesqueira. Genival Poeta traz o seu "Pernambuco das Pontes às Cancelas", obra escrita em verso que retrata aspectos da História Pernambucana, da Capital ao Sertão.

A parte musical terá como maior atração a cantora Sevy Nascimento, lançando o CD Tríade, onde a artista junta os ritmos de forró, xote, maracatu, afoxé, ciranda, samba, balada, valsa e um leve toque de Funk. O trabalho tem participações especiais, do Beto Hortis, Luizinho de Serra, Santanna O Cantador, Greg Marinho, Bia Marinho, Isaac Sete Cordas, Samuel Samucka, Meriele, Fofão.

Depois de Sevy, sobem ao palco os arcoverdenses Kleber Araújo e Leandro Vaz, para cantarem canções autorais e clássicos do cancioneiro nordestino.

Com a apresentação dos cordelistas de Mossoró (RN) Antônio Francisco e José Ribamar, terá início o sarau poético musical comandado pelo poeta arcoverdense Aldo Almeida (Contadores de História), que conduzirá ao palco cerca de quarenta poetas, declamadores, músicos e cantores das cidades de Arcoverde, Pedra, Buíque, Pequeira, Sanharó, Belo Jardim, Sertânia, Tabira, São José do Egito, Tuparetama, Alagoinhas, Mimoso, Lajedo, além de artistas do Recife.

A FELIS terá três exposições de artes visuais com a artista plástica Edilza Vasconcelos (Ser Tão em Preto e Branco), com Diosman Avelino, apresentando suas esculturas de material reciclado, e ainda com o Mestre Assis Calixto (Coco Raízes de Arcoverde), trazendo esculturas em madeira.

A venda de livros e folhetos de cordel ficará a cargo da Livraria Lira Cultural, do Poeta Felipe Júnior (articulador do Movimento Por Mais Cultura), da Livraria Cabras do Moxotó, da Editora Moxotó Produções e da Editora Coqueiro, além de diversos cordelistas que estarão apresentando os seus trabalhos individualmente.

Haverá ainda mostra de artesanato patrocinada pela Casa do Artesão de Arcoverde, que trará peças de artistas locais, integrantes da associação.

Duas entidades que atuam na área da literatura já confirmaram presença na FELIS, são a Sociedade dos Poetas e Escritores de Pesqueira - SOPOESP  e a SAPECAS - Sociedade dos Poetas, Escritores e Compositores de Sertânia. Essas associações trarão integrantes para participar do momento de declamação, bem como para exporem as suas obras.

O SESC Arcoverde trará para a Feira a  Exposição Itinerante "PASSOSPOÉTICOS"- Itinerário da vida e obra de Carlos Alberto Cavalcanti, que faz um passeio pela obra de um dos poetas com maior visibilidade atualmente em Arcoverde. Essa exposição já circulou no primeiro semestre de 2016 por quatro instituições de ensino: AESA-CESA, Escola Industrial de Arcoverde, EREM-Carlos Rios e EREMA. 

A Feira Literária do Sertão, que conta com apoio da Prefeitura Municipal, além de significar uma celebração da cultura de Arcoverde e Região, será uma excelente oportunidade para a troca saberes entre artistas e entre estes e o público presente.

SEVY NASCIMENTO LANÇARÁ CD "TRÍADE" EM FEIRA LITERÁRIA NA CIDADE DE ARCOVERDE



A cantora e poeta Sevy Nascimento


A cantora e poeta Sevy Nascimento lançou ontem (21/10) no Teatro Boa Vista no Recife o CD "Tríade". Acompanhada de um excelente grupo, formado pelos violonistas Isaac Sete Cordas e Silvio Romero e das percussões e efeitos de Marquinhos Lima, Cesinha e Fabio Lima, a artista fez belíssimo show, mais uma vez mostrando por que é considerada uma das melhores cantoras da cena pernambucana.

Sevy iniciará a divulgação do seu mais novo trabalho fora do Recife por Arcoverde, aonde levará uma amostra do seu repertório para apresentação na Feira de Literatura do Sertão - FELIS, que ocorre no próximo sábado (29/10), a partir das 15h na Praça Winston Siqueira (antiga Virgínia Guerra).

No CD Tríade, a cantora mistura os ritmos de forró, xote, maracatu, afoxé, ciranda, samba, balada, valsa, e um toque de funk. O trabalho conta com participações especiais de Beto Hortis, Luizinho de Serra, Santanna O Cantador, Greg Marinho, Bia Marinho, Isaac Sete Cordas, Samuel Samucka, Meriele e Fofão.

Na apresentação na FELIS, Sevy será acompanhada pelos músicos arcoverdenses Sérgio Coringa (Sanfona), Leandro Vaz (violão e viola) e Jadson André (Percussão).

A escolha dessa artista para apresentação na Feira Literária não ocorreu por acaso. Sevy Nascimento, que é natural do Cabo de Santo Agostinho, tem forte identidade com o Sertão, onde residiu por anos na cidade de Tabira, além de também ser escritora, tendo lançado em 2013 o livro de poesias "Amanhecer". 

A Feira Literária do Sertão - FELIS é uma realização do COCAR -  Coletivo Cultural de Arcoverde.

Não Percam!!!

FOTO: acervo da artista

terça-feira, 11 de outubro de 2016

POETA VINÍCIUS GREGÓRIO LANÇA LIVRO EM ARCOVERDE NA FELIS


Será na Feira Literária do Sertão - FELIS, realizada em comemoração aos sete anos de atuação do COCAR, que o Poeta Vinícius Gregório virá a Arcoverde lançar o seu livro Alma Impressa. O evento ocorrerá no dia 29/10 (sábado) na Praça Winston Siqueira (antiga Virgínia Guerra) e terá início a partir das 15h.


“Alma Impressa” é o segundo livro de poesias do poeta Vinícius Gregório, que também tem um CD de declamações publicado, intitulado “Minha Droga é a Poesia”. O primeiro livro, “Hereditariedade”, foi publicado em 2007.

Vinícius é natural de São José do Egito – PE, cidade conhecida como a “Terra da Poesia”. É formado em Direito pela Universidade Católica de Pernambuco e exerce, atualmente, o cargo de Oficial de Justiça na Justiça Federal. Morou em Recife por 13 anos, onde começou a escrever seus primeiros versos. 

Começou a admirar poesia desde muito cedo através do seu pai, o comerciante Agostinho Lourenço, que sempre declamava para Vinícius poesias dos grandes mestres do Pajeú.

Dentre as suas apresentações mais importantes destacam-se as aparições nos programas “Causos e Cantos” da rede Globo Nordeste nos anos de 2014 e 2015. 

Em “Alma Impressa”, publicado nove anos depois do primeiro livro, Vinícius contempla aquelas que ele considera as principais poesias escritas por ele ao longo desse tempo. Trata-se de um livro dividido em 9 capítulos que abrangem os mais diversos estilos poéticos e temas, que vão dos poemas matutos aos líricos. 

O prefaciador do livro é o poeta e professor universitário Genildo Santana, da cidade de Tabira, mas ainda integram o livro as apresentações, em poesia, dos poetas: Dedé Monteiro, Zé Adalberto, Lenelson Piancó, Lucas Rafael, Gislândio Araújo, Aluísio Lopes e Ayrton Queiróz. Além das orelhas escritas pelos poetas: Jessé Costa e Thyelle Dias.

O Livro conta com uma pintura em aquarela, na capa, feita pela artista plástica Jade Carneiro, da cidade de Campina Grande-PB. Foi impresso pela CEPE (Companhia Editora de Pernambuco) e o projeto gráfico elaborado pela Via Design.

Dentre as poesias do livro, destaca-se o soneto impresso na capa de trás, intitulado de Pedaços:

Cada verso que escrevo é um pedaço
De mim mesmo, que arranco pra doar.
Se não sinto o que faço, é porque faço
Pra quem sente e não sabe se expressar.

De pedaço em pedaço, eu satisfaço
Muitas almas que buscam completar
O local onde a dor deixou espaço
Com poesia, remédio secular...

Mas, às vezes, eu sinto a minha alma
Sem pedaços pra dar e até sem calma,
Por sentir-se vazia e incompleta.

E então vejo o valor da minha arte,
Quando eu vou completar a minha parte
Nos pedaços que vêm de outro poeta.

Aos interessados em adquirir o livro, o poeta envia pelos correios, basta entrar em contato com ele através da sua fanpage (www.facebook.com/poetaviniciusgregorio) ou pelo telefone: (87) 99607-3347.

fotos e texto: divulgação do Poeta Vinícius Gregório