teste

domingo, 6 de janeiro de 2013

FESTA DA CULTURA ARCOVERDENSE NO LANÇAMENTO DO CD DO SAMBA DE COCO TRUPÉ


Samba de Coco Trupé de Arcoverde

Uma noitada de exaltação à cultura arcoverdense foi o lançamento do CD “Vamo pra lá, vamo pra cá e não deixo o Coco parar” do Samba de Coco Trupé de Arcoverde. O Mestre Ciço Gomes, líder do grupo, logo cedo já recepcionava o público que chegava ao local do evento, demonstrando toda a sua satisfação pelo momento especial e fazendo questão de oferecer o tradicional xerém com galinha, preparado por Dona Maria, sua esposa.

Por volta das 21h as apresentações se iniciaram, com George Silva (Pariceiros) fazendo as vezes de mestre de cerimônia. O ponto de partida da festança foi o Coco Aliança, que apresentou com competência clássicos do gênero e contou com uma “canja” da Mestra Severina, líder do Coco das Irmãs Lopes e herdeira do clã que introduziu o Samba de Coco na cidade de Arcoverde.

Depois, subiu ao palco Alberone e o seu Balão Popular que fez a galera se mexer ao som de sua rabeca encantada. Durante a apresentação, Ciço Gomes não se conteve e entrou em cena para dar uma mostra do que viria em seguida.

Como não poderia ser diferente, o ponto alto da noite foi o espetáculo de ritmo e coreografia proporcionado pelo anfitrião Samba de Coco Trupé. Entre os números musicais, Ciço e família interagiram com o público relatando a trajetória do Coco em Arcoverde e a participação da família Gomes nesse contexto.

Momento de muita emoção ocorreu quando foi convidado a subir ao Palco o Mestre Biu Neguinho (82 anos), que é o responsável pela introdução do surdo na formação instrumental do Samba de Coco e criador da pancada que caracteriza o autêntico Coco de arcoverdense. Seu Biu acompanhou o grupo tocando surdo nas músicas “Celina” e “Coqueiro da Bahia”, demonstrando ainda ter fôlego para segurar o batuque e deixando todos boquiabertos com sua vitalidade.

Uma surpresa inda estava reservada pelo Trupé. Os integrantes desceram do palco e fizeram uma demonstração de como é gostoso o Coco executado no chão, onde se misturam artistas e público, num indescritível espetáculo de energia e ritmo.

Para terminar com “pisada de ouro”, o excelente os Pariceiros trouxeram animação com seu forró, levando os presentes a trocarem os tamancos do trupé pela sandália do arrastado da sanfona.

A produção do CD e do seu lançamento foi do Instituto das Artes e Desenvolvimento Humano – IADHUM, com recursos do edital Microprojetos Mais Cultura Rio São Francisco/2012 – FUNARTE – Fundação Nacional de Artes/Ministério da Cultura/Governo Federal.

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário