quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

CENTENÁRIO DO REI DO BAIÃO É COMEMORADO EM ARCOVERDE


 Luiz Gonzaga, o Rei do Baião

No dia 13 de dezembro de 2012, todo o país estará prestando homenagem àquele que foi um dos mais importantes artistas da nossa cultura. Reverencia-se Luiz Gonzaga – o Rei do Baião – na data que marca um século do seu nascimento.

A cidade de Arcoverde tem motivos para não deixar esse momento passar em branco. Gonzagão, nos anos setenta, foi agraciado com o título de Cidadão Arcoverdense, não por acaso. Aqui ele fez muitas paradas nas passagens pela rodovia que hoje recebe o seu nome. Foram várias as apresentações nessa terra, onde interagiu intensamente com os artistas arcoverdenses. Em um encontro com Sebastião Caranguejo (cantor da OARA), chegou a afirmar que Arcoverde não precisava trazer o Rei do Baião para animar as suas festas, posto que aqui havia artistas valorosos.

Um desses artistas, tempos depois, veio a se tornar o compositor mais presente na vida de Luiz Gonzaga. João Silva, arcoverdense do Distrito de Caraíbas, foi o seu grande parceiro, em sucessos memoráveis como Pagode Russo, Nem se Despediu de Mim, Deixa a Tanga Voar, dentre os quase cem sucessos da dupla.

Gonzaga gravou, pelo menos, três músicas falando da Terra do Cardeal: "De Juazeiro a Crato" (Julinho do Acordeon – Luiz Gonzaga), "Sanfoneiro Zé Tatu" (Onildo Almeida) e "Arcoverde Meu" (Luiz Gonzaga e João Silva). 

Esses fatos demonstram que Arcoverde é um lugar pelo qual o Rei do Baião tinha grande apreço e que serviu como referência na geografia da matriz musical gonzagueana. 

Por tudo isso, o povo de Arcoverde irá render suas homenagens ao "Pernambucano do Século", neste dia 13 de dezembro de 2012, data em que faria cem anos, com uma programação que envolve exposição da sua obra, apresentações de estudantes, aboiadores, poetas e grande rosa de sanfona.

Também será cantado o "parabéns para o Rei", com acompanhamento de sanfonas, momento em que será cortado o bolo do Centenário de Gonzagão.

O evento ocorrerá na praça da Bandeira, a partir das 17 horas e é uma realização do COCAR - Coletivo Cultural de Arcoverde em parceria com a Fundação Terra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário