quinta-feira, 6 de outubro de 2011

EMÍDIO DE MIRANDA, UM GRANDE VALOR DA NOSSA CULTURA

EMÍDIO DE MIRANDA
(1897-1933)

Batizado Waldemar Emygdio de Miranda, em sua bibliografia apenas dois títulos: Rosal, com prefácio de Ulysses Lins,e Rosa da Serra e Outros Poemas. Pelos seus escritos, O Meu Aniversário, teria nascido no Recife, em 5 de agosto de 1897.

Descrito como um boêmio, sem morada fixa, vagando pelos sertões do Pajeú, pousando ora em Arcoverde, ora em Serra Talhada, demorando algum tempo em Caruaru, mas logo retornando a Triunfo e estendendo sua viagem até Princesa do Coronel José Pereira, sempre bebendo aqui e acolá, recitando seus poemas para seus admiradores, como se fosse um menestrel medieval."  Leonardo Dantas Silva.

Uma curiosidade: Toinho Pacheco nos relatou que o livro Rosa da Serra foi editado pelo nosso inesquecível Antonio Napoleão Arcoverde, na tipografia Prima em Arcoverde.

Também chegou-nos uma informação, não confirmada, de que o poeta teria sido sepultado em Arcoverde. Destaque-se que há uma rua na nossa cidade, cujo nome o homenageia, a mesma fica no Bairro do São Cristóvão.

A foto que inserimos é da capa de livro organizado por. Luiz Carlos Diniz.  (Recife: EDUPE,  2005), o qual foram teve a tiragem de apenas 320 exemplares..

Não poderíamos deixar de citar um dos seus mais belos sonetos: A um Burguês:
Tu, ventrudo burguês analfabeto,
Escultura rotunda da irrisão,
Para quem o viver mais limpo e reto
Consiste em ser devoto e ter balcão;

Tu, que resumes todo o teu afeto
No dinheiro, — o metal da sedução —
Pelo qual negociarás abjeto
Tua esposa, teu lar, teu coração,

Escuta, ó ignorantaço, o que te digo:
Esse ouro protetor, que é teu amigo,,
Que te deu o conforto de um paxá,

Pode comprar qualquer burguês cretino;
Mas a lira de um vate peregrino
Não compra, não comprou, não comprará
.



Nenhum comentário:

Postar um comentário